3 de ago de 2014

Mohamed Pataxó



Mais ou menos 40 anos, executivo, bem apessoado, senta-se na poltrona do avião com destino a New York e, maravilha, depara-se com uma morena escultural sentada na poltrona junto à janela.

Pernas cruzadas, perfeitas, saia curta deixando entrever um belíssimo par de coxas, seios no tamanho exato, empinados, lábios carnudos, mas sem volume demasiado, enfim, uma DEUSA...

Decola a aeronave, céu de brigadeiro, uma vontade enorme de puxar conversa, mas a morena, impassível, lê um grosso volume com muita atenção. 15 minutos de voo e o cavalheiro não se contem:

_ É a primeira vez que vai a New York?

Ela, gentil, com uma voz muito sensual, mas de certa forma reservada:

_ Não, é uma viagem habitual...

Ele, agora animado:

_ Trabalha com moda, por acaso...?

_ Não, viajo em função de minhas pesquisas...

_ Desculpe-me a curiosidade é escritora...?

_ Não, sou sexóloga.

_ Muito interessante e raro. Suas pesquisas dedicam-se, na sexologia, a quê, especificamente?

Ela, tranquila e sempre com a mesma voz de veludo:

_ No momento, dedico-me a pesquisar as características do membro masculino, o que julgo ser um trabalho de fôlego e muito difícil.

_ Nas suas pesquisas, a que conclusões já chegou?

_ Bom, de todos os pesquisados, já concluí que os Índios, sem dúvida, são os portadores de membros com as dimensões mais avantajadas e, em contrapartida, os Árabes são os que permanecem mais tempo no coito, antes de entrarem em gozo; logo, são os que proporcionam mais prazer às suas parceiras. Além disso... Oh! Me desculpe! Eu estou aqui falando sem parar e nem sei seu nome...

_ Mohamed Pataxó, às suas ordens!

O Padre e o Secador de Cabelo.



Uma senhora muito distinta estava em um avião vindo da Suíça. Vendo que estava sentada ao lado de um padre simpático, perguntou:

- Desculpe-me, padre, posso lhe pedir um favor?

- Claro, minha filha, o que posso fazer por você?

- É que eu comprei um novo secador de cabelo sofisticado, muito caro. Eu realmente ultrapassei os limites da declaração e estou preocupada com a Alfândega. Será que o Senhor poderia levá-lo debaixo de sua batina?

- Claro que posso, minha filha, mas você deve saber que eu não posso mentir!

- O Senhor tem um rosto tão honesto, Padre, que estou  certa que eles não lhe farão nenhuma pergunta.

E lhe deu o secador.

O avião chegou a seu destino.

Quando o padre se apresentou à Alfândega, lhe perguntaram:

- Padre, o senhor tem algo a declarar?

O padre prontamente respondeu:

- Do alto da minha cabeça até a faixa na minha cintura, não tenho nada a declarar, meu filho.

Achando a resposta estranha, o fiscal da Alfândega perguntou:

- E da cintura para baixo, o que o senhor tem?

- Eu tenho um equipamento maravilhoso, destinado ao uso doméstico, em especial para as mulheres, mas que nunca foi usado.

Caindo na risada, o fiscal exclamou:

- Pode passar, Padre! O próximo...

A inteligência faz a diferença.


Não é necessário mentir, basta escolher as palavras certas.


O advogado e os 12 Filhos...




Um advogado, com 12 filhos, não conseguia alugar uma casa para morar, pois os donos sabiam que as crianças destruiriam a residência. Como era advogado, não poderia mentir, assim não poderia dizer que não tinha os 12 filhos. Desesperado por causa do prazo da mudança, pediu para sua esposa ir ao cemitério com 11 de seus filhos. Pegou o filho que ficou e foi à imobiliária. Quando o corretor perguntou quantos filhos ele tinha, respondeu 12.

- Mas onde estão os outros?

O advogado respondeu:

- Estão no cemitério, com a mãe.

E assim ele conseguiu alugar a casa, sem mentir.

Moral: Não é preciso mentir, basta escolher as palavras certas.